MITOLOGIA CELTA


Esta é a página dedicada à mitologia celta e a muitas outras histórias derivadas e referentes à mesma. É preciso fazer notar que, muitas vezes, as entidades têm mais do que um nome ou aspecto, e muitas partilham portfolios divinos, ou seja, partilham a mesma energia que comandam e, desta forma, muitas entidades serão denominadas de mestres do Sol, da Lua, da água, do fogo, etc., ao mesmo tempo que tal acontece com outras divindades do mesmo panteão. São características da cultura referente à mitologia em apreço e que podem, à primeira vista, não fazer muito sentido, mas isso é a essência do paganismo: a interdisciplinaridade dos aspectos religiosos e o intercâmbio de energias e poderes partilhados entre as entidades. Boa pesquisa.

Aatxe

Um espírito maligno dos Bascos com a forma de um touro, mas que ocasionalmente toma também a forma humana. Durante a noite, em especial, durante tempestades, ele sai da sua caverna e vagueia pela terra. Também alcunhado de Aatxegorri, ou “jovem touro vermelho”.

Abandinus

Um Deus romano-celta de quem pouco se sabe, excepto uma pequena inscrição encontrada em Cambridgeshire, na Inglaterra.

Abarta

Um Deus irlandês, membro dos Tuatha Dé Danann.

Abellio

O Deus gálico das macieiras, e uma divindade local do Vale de Garonne.

Abhean

Um Deus irlandês, harpista dos Tuatha Dé Danann.

Abnoba

Deusa dos rios e das florestas romano-celta da área de Black Forest. É também da Deusa da caça, semelhante a Diana dos Romanos.

Adsullata

Uma Deusa celta continental, relacionada com os rios.

Aengus

Também conhecido por "Angus, o Jovem", este Deus era considerado o Deus irlandês do amor. É um Deus muito atraente que tem quatro pássaros a voar à volta da sua cabeça e que faziam com que todos os que os ouvissem ficassem apaixonados, se bem que não necessariamente pelo Deus. Era o filho de Dagda e Boann. Aengus tem um filho com o nome de "Diarmuid Ua Duibhne" ou Diarmuid do Sinal do Amor. Um dia, enquanto caçava, Diarmuid conheceu uma jovem que lhe fez um Sinal mágico na testa, e a partir desse momento nenhuma mulher podia olhar para Diarmuid sem se apaixonar por ele. O seu palácio situa-se em Brugh na Boinne no Rio Boyne (na moderna localização de New Grange).

Aericura

Um deus ctónico romano-celta.

Aes Sidhe

“O Povo dos Montes” nome colectivo para os Deuses irlandeses que residem nos montes.

Aeval

Entre os celtas irlandeses, Aeval era a Rainha das Fadas de Munster. Todas as meias-noites, ela abria um tribunal onde se determinaria se os maridos estavam a satisfazer as necessidades sexuais das mulheres ou não, conforme os relatórios apresentados pelas próprias mulheres.

Agrona

Deusa celta dos combates e dos massacres. O Rio Aeron no País de Gales é-lhe dedicado.

Ai

O Deus irlandês dos poetas, membro dos Tuatha Dé Danann.

Aibell

Uma Deusa-fada irlandesa.

Aillen

Um monstro do Outro Mundo na mitologia irlandesa.

Aimend

Uma Deusa-sol irlandesa.

Ain

Juntamente com a sua irmã, escreveu as Brehon Laws, um código de lei antigo na Irlanda celda que protegia os direitos das mulheres. Abençoada seja.

Aine

Deusa irlandesa do amor e da fertilidade, filha de Eogabail, que era o filho adoptivo de Manannan mac Lir. Mais tarde foi determinado que era uma Rainha das Fadas, no County de Limerick.

Airitech

Uma criatura irlandesa do Outro Mundo cujas três filhas tomavam a forma de Lobisomens (se bem que o nome deste licantropo fica estranho aqui...).

Airmed

Uma Deusa irlandesa dos Tuatha Dé Danann

Alaunus

Este é o Deus mais aproximado a Apolo, venerado nas áreas de Mannheim (Alemanha) e Salzburgo (Áustria).

Albiorix

Nome alternativo do Deus gaulês Teutatis.

Alisanos

Deus gaulês local mencionado em inscrições em Côte d'Or. Houve várias tentativas de determinar o seu portfolio divino (áreas que representava), mas ainda sem conclusão à vista. A antiga cidade gaulesa de Alesia, a actual Alise-Sainte-Reine, pode estar definitivamente ligada a esta entidade.

Amaethon

O Deus galês da agricultura, filho da Deusa Don. Ele é o responsável pela guerra entre as divindades do submundo, lideradas por Arawn, e as Crianças de Don. Na Batalha de Cath Godeau, também conhecida por Batalha das Árvores, Gwydion, o irmão de Amaethon, transformou árvores em guerreiros e, com a ajuda dos mesmos, derrotaram as divindades do submundo.

Ambisagrus

Um Deus celta continental. Os Romanos igualavam-no a Júpiter.

Anann

Uma das vertentes da Deusa-Mãe irlandesa, que se junta a Danu. Ela é adorada em Munster como Deusa da fertilidade e deu o nome a Paps of Anu, duas colinas no County de Kerry. No seu aspecto de idosa, formava a trindade do Destino com Badb e Macha.

Ancamna

Uma Deusa celta continental relacionada com a água.

Andarta

Uma Deusa gaulesa dos guerreiros e da fertilidade

Andraste

A Deusa da guerra nas ilhas britânicas. Andraste está relacionada com lebres e corvo.

Anu

Um Deusa irlandesa da fertilidade, venerada como a mãr de todos os Deuses. O centro do seu culto situava-se na área de Munster, no sudeste da Irlanda. As duas colinas redondas perto de Killarny são rotuladas de “O Peito de Anu”. Esta divindade é muitas vezes confundida com Danu.

Arawn

Deus galês do submundo. Amaethon roubou-lhe dois cães, lapwing e roebuck, evento que determinou a causa da Batalha das Árvores, nas quais as suas forças foram derrotadas.

Arduinna

Deusa gaulesa da Lua, da caça e das florestas. É extremamente popular nas Ardenas, local cujo nome deriva do seu. Acompanha-se de um javali, o seu animal sagrado. Os Romanos ligavam-na a Diana.

Arianrhod

Arianrhod, ou Roda de Prata, basicamente, a Lua, é uma das descendentes de Don. Ela tem dois irmãos, Gilfaethwy e Gwydion. A crónica de uma criança denominada Dylan é-lhe referenciada. Ele era um ser aquático que regressava por fim às ondas da sua origem. Esta matéria foi capturada por Gwydion, que a escondeu num baú até germinar um bebé. Arianrhod impôs três regras a esta criança, não ter nome a menos que ela lhe desse um, nunca teria uma arma a menos que ela lha desse e nunca teria por mulehr uma humana. Desta forma, Arianrhod negu-lhe os três pontos que determinavam a sua passagem à idade adulta. Mesmo assim, Gwydion educou o rapaz sem nome e, um dia, Arianrhod viu, escondida, o rapaz a matar uma garriça com uma única pedra arremessada. Disse-lhe que ele tinha grande pontaria e deu-lhe um nome, Llew Llaw Gyffes. Mais tarde, Gwydion fingiu uma emergência e enganou a irmã a dar ao rapaz uma arma.

Arnemetia

A Deusa celta britânica da água.

Artio

Artio de Muri, apresentada muitas vezes na forma de uma ursa, é a Deusa continental do culto dos ursos e sabe-se dos mesmos através de inscrições na zona de Berna, na Suíça.

Arvernus

Deus gaulês de Arverni.

Aufaniae

Uma grande variedade de Deuses celtas continentais.

Avalloc

Nas crónicas de Gales, é o pai da Deusa Modron, se bem que o seu estatuto é pouco claro. Muitos referem-se-lhe como rei de Avalon.

Aveta

A Deusa gaulesa dos nascimentos e das parteiras.

Badb

Badb é a Deusa irlandesa da guerra. Tem o hábito de assumir a forma de um corvo, que é a sua forma favorita, com a qual assume o nome de Badb Catha, ou Corvo das Batalhas. Ela participou em muitas batalhas e causa a confusão geral entre os guerreiros com a sua magia. Os campos de batalha são normalmente alcunhados de Terra de Badb. Forma uma tríade de Deusas da guerra com Macha (Nemain) e com Morrigan.

Balor

Na mitologia irlandesa, Balor é o Deusa da morte e rei dos Fomorians, uma raça de gigantes. Filho de Buarainech e marido de Cethlenn, Balor é um ciclope, que mantém fechado, porque tudo aquilo para que olhava, morria instantaneamente. De acordo com certas profecias, Balor seria morto pelo seu neto. Desat forma, fechou a sua filha Ethlinn numa torre de cristal, para prevvenir que ficasse grávida mas, com a ajuda da druida Birog, Cian, dos Tuatha Dé Danann, conseguiu entrar na torre e dormir com Ethlinn. Ela teve um filho, mas Balor soube da sua existência e atirou-o para o oceano. Birog salvou o menino e deu-o ao Deus dos mares Manannan mac Lir, com o qual cresceu. O menino, Lugh Lamhfada, tornou-se parte dos Tuatha Dé Danann e liderou-os na segunda batalha em Mag Tuireadh. Nesta segunda e decisiva batalha, Balor matou o Rei Nuada dos Tuatha Dé Danann com um olhar mas, quando abriu o olho para matar o seu neto Lugh, este conseguiu arrancar o olho de Balor com uma funda e Balor caiu, morto.

Banba

Deusa que representa o espírito da irlanda e mulher do Rei MacCuill, pensa-se ter sido a primeira colona da Irlanda. Faz parte da tríade de Deusas denominadas Filhas de Fiachna, juntamente com Fodla e Eriu. Amergin, filho de Miled, prometeu-lhe a honra de ter uma ilha com o seu nome. Banba é um nome poético para a Irlanda. Inicialmente foi uma Deusa da guerra e da fertilidade.

Beag

Uma Deusa irlandesa dos Tuatha Dé Danann, associada a um poço mágico.

Bebhionn

Uma Deusa irlandesa do submundo e patrona do prazer.

Belatu-Cadros

Deus celta da guerra e da destruição dos inimigos, adorado na Grã-Bretanha, especialmente no País de Gales. Os Romanos igualavam-no a Marte.

Belenus

Belenus é o Deus gaulês da luz referido com O Brilhante. O seu culto começou no norte de Itália até ao sul da Gália e à Grã-Bretanha. Belenus estava encarregado do bem-estar das ovelhas e do gado e a sua mulher é a Deusa Belisama. Podemos compará-los com Apolo e Minerva, mas Belenus pode também ser identificado com o Deus irlandês Bile.

Belisama

Deusa gaulesa da luz, do fogo, da forja e dos ofícios, mulher do Deus Belenus.

Bile

Deus celta da luz e da cura. Pensa-se que as águas de Danu tenham alimentado um carvalho e gerado Dagda. Pai de Arianrhod, patrono das ovelhas e do gado, alguns acreditam que esta entidade é equivalente a Belatucadros, consorte de Belisama. Belatucadros é o Deus da destruição e da guerra, e transporta os mortos até às Águas Divinas de Danu. Os Deuses celtas tinham portfolios divinas apenas aparentemente paradoxais. No caso de Belatucadros, o seu portfolio da morte era apenas um caminho para a reencarnação no Outro Mundo, ligando assim os dois temas num círculo perpétuo. Contudo, há relatos de outros cronistas que vêm desmentir e contradizer todos estes poderes temáticos, o que nos deixa numa situação algo confusa.

Blodeuwedd

Blodeuwedd foi criada a partir de flores por parte de Gwydion de forma a casar com Llew Llaw Gyffes. Ela acabou por trair Llew, não se sabe se por não ter alma, por não ser humana, por estar ressentida de ter de ser a sua escrava ou porque pura e simplesmente a mitologia normal entre uma mulher e dois homens tem de seguir o seu curso normal e Llew Llaw Gyffes tinha de morrer. Seja como for, ela apaixonou-se por Goronwy e, querendo livrar-se de Llew, enganou-o e descobriu a única maneira mágica e ritual através da qual ele poderia ser assassinado: nem de dia, nem de noite, nem dentro nem fora de casa, nem a cavalgar nem a andar, nem vestido nem nu, nem por nenhuma arma forjada de forma justa. Pediu-lhe que explicasse o significado e ela assim o fez. Ele só podia ser morto no crepúsculo, enrolado numa rede de pesca, com um pé num caldeirão e outro numa cabra e apenas se a arma usada tivesse sido usada durante horas sagradas, quando esse trabalho era proibido. Blodeuwedd convenceu-o a demonstrar a impossibilidade de isso acontecer por acaso, e quando ele se colocou nessa posição, Goronwy saltou da sua posição e atacou. Llew foi transformado numa águia e, muito tempo depois, regressou à forma humana, onde acabou por matar Goronwy. Blodeuwedd foi transformada numa coruja, condenada a assombrar a noite em solidão e mágoa, posta de lado pelas outras aves.

Boann

Deusa irlandesa da abundância e da fertilidade, cujo totem é a vaca branca, sendo que é também a Deusa do Rio Boyne. Ela é a mulher do Deus Nechtan ou talvez de Elcmar, e é consorte de Dagda, através dos quais é mãe do Deus Aengus. De forma a esconder a sua união de Nechtan, Boann de Dagda fizeram com que o Sol ficasse imóvel durante nove meses de forma a que Aengus pudesse ser concebido e nascesse no mesmo dia.

Bodb

A Deusa irlandesa das batalhas. Profetizou a desgraça dos Tuatha Dé Danann depois da batalha de Mag Tuireadh.

Bodb Dearg

‘Bodb O Vermelho’ é o filho de Dagda que o sucedeu como governante dos Deuses.

Bormanico

Deus Lusitano das águas termais.

Borvo

Deus gaulês das fontes minerais quentes e da cura. Em Provence (França) era conhecido como Bormanus, e em Portugal como Bormanico, identificado com Apolo pelos Romanos.

Branwen

Deusa celta do amor e da beleza, de Manx e do País de Gales. Irmã de Bran e Manannan mac Lir, filha de Lir e mulher do rei Matholwch. Semelhante a Afrodite dos Gregos e a Vénus do Romanos, depois da morte do irmão Bran, devido a uma guerra causada por Matholwch, Branwen acabou por morrer, a sua forma material, com o coração despedaçado.

Breg

Deusa irlandesa e mulher de Dagda.

Bres

Deus celta da fertilidade e da agricultura. Ele é o filho de Elatha, príncipe dos Fomorianos e da Deusa Eriu. Quando o rei Nuada perdeu a mão na primeira batalha de Mag Tuireadh, foi considerado impossibilitado de governar os Tuatha Dé Danann. Embora os Fomorianos fossem seus inimigos, como acto de reconciliação, os Tuatha Dé decidiram fazer de Bres o seu rei e a Deusa Brigid tornou-se sua mulher. Contudo, Bresprovou ser um pobre governante. Além de ser um tirano, aumentou os impostos a um nível quase insustentável e deixou os Tuatha a trabalhar como escravos. Quando a mão de Nuada foi substituída por uma de prata, Bres foi deposto. Ele fugiu para o exílio e instigou os Fomorianos para a guerra. Os Fomorianos foram derrotados e Bres foi capturado. Pouparam-lhe a vide sa prometesse ensinar os Tuatha na arte da agricultura e fazer da Irlanda uma terra fértil.

Brigid

Uma Deusa tripla celta, filha de Dagda e mulher de Bres. Conhecida por muitos nomes, os seus três aspectos são o Fogo da Inspiração para os poetas, o Fogo do Solo na cura e na fertilidade e o Fogo da Forja como patrona das artes metalúrgicas e marciais, até porque é mãe de todos os criadores em ofícios. Brigid possui um pomar no Outro Mundo aonde as abelhas viajam para obter nectar mágico. É também a Deusa da Chama Sagrada de Kildare e consideram-na a Donzela Branca, primeiro aspecto da Deusa tripla e o sue festival é Imbolc. Devido ao seu aspecto de Fogo da Inspiração e a sua ligação às macieiras e carvalhos, ela é considerada a Senhora dos Druidas.

Britannia

A uma Deusa celta-romana tutelar.

Bronach

Uma Deusa irlandesa dos rochedos.

Búanann

Deusa guerreira, denominada a enfermeira dos guerreiros. Cúchulainn foi à Grã-Bretanha para a treinar e também Scáthach. Ela também foi útil a Fionn mac Cumhaill e daí que a chamem de Mãe dos Fianna. Pode ser comparada à Deusa britânica Setlocenia e pode ser um contraponto à Deusa romana Minerva.

Bussumarus

Um Deus celta continental que muitos indentificam com Júpiter dos Romanos.

Cailleach

Cailleach é referida em certas partes da Escócia como a Mãe de Tudo o que Existe. Também conhecida por Scotia, apresentam-na como uma idosa com os dentes de um urso e as presas de um javali e segundo muitos, é uma grande sacerdotiza e hábil na Arte. Uma das superstições respeitantes a Calliach é que a pessoa que for a última a fazer a colheita será a pessoa que tomará conta de Caileach durante o resto do ano, até à próxima colheita. O primeiro que acabar a colheira construirá uma boneca a partir daquilo que semeou e colheu. Passaria depois essa boneca à próxima pessoa que acabar. Acabaria quando a última pessoa fizesse a colheita e ela teria de tomar conta da Velha Senhora. Cailleach criou também a Terra.

Camma

Deusa da caça entre os Bretões.

Camulus

Deus da guerra gaulês mencionado pelos Romanos que o associavam a Marte. Foi este Deus que deu o nome à cidade romana de Camulodunum, a actual Colchester.

Cariociecus

Um Deus ibérico / lusitano da guerra. Os Romanos viam-no como uma versão de Marte.

Carman

Uma sacerdotiza altamente destrutiva, segundo muitos relatos, Deusa da magia maligna e de toda a magia usada para esse fim. Ela tinha três filhos, igualmente destruidores: Dub, as trevas, Dother, o mal e Dian, a violência, e os três devastaram a Ireland. Os Tuatha Dé Danann lutaram contra Carman com as suas armas mais poderosas. Por fim, a sacerdotiza Bechuille conseguiu reverter as maldições de Carman. Os seus filhos foram aniquilados e Carman foi posta a correntes, para depois morrer sozinha de mágoa e dor.

Caswallawn

Um Deus celta bretão cujo portfolio era o da guerra.

Cenn Cruaich

Um Deus gaélico dos Céus, semelhante a Zeus.

Ceridwen

Ceridwen era uma Deusa-sacerdotiza de grande poder. Ceridwen tinha um filho muito feio, Afagddu, que ela queria tornar sábio. Criou um líquido mágico e deixou o seu ajudante de cozinha Gwion a tomar conta dele. Três gotas do líquido saltaram e queimaram a pele do ajudante que as lambeu, adquirindo de imediato todo o conhecimento. Isto levou a que a Deusa o caçasse numa perseguição lendária. Primeiro, ela tornou-se um lobo cinzento e ele numa lebre, depois ela transformou-se numa lontra e ela num peixe, depois ela num falcão e ele num coelho. Por fim, ela transformou-se numa galinha e ele numa espiga de milho, que a Deusa comeu. Ela ficou grávida com ele e nasceu nove meses depois, um rapaz de graça e beleza extremas, a quem ela chamou Taliesin e colocou num barquinho no mar.

Cernunnos

Este é o Deus celta da fertilidade, da vida, dos animais, da riqueza e do submundo. Ele é adorado em toda a Gália, e o seu culto chegou à Grã-Bretanha também. Cernunnos apresenta-se com as hastes de um veado e por vezes transporta uma bolsa cheia de moedas. O Deus nasce durante o Solstício de Inverno, casa com a Deusa em Beltaine e morre no Solstício de Verão. Alterna com a Deusa da Lua a regência da vida e da morte, permanecendo assim vivo o ciclo de morte, renascimento e reencarnação. Gravuras rupestres em França datadas do Paleolítico que mostram um veado de pé ou um homem vestido com roupas de veado parecem indicar a existência da entidade já nesses tempos. Os Romanos representavam-no por vezes com três grou a voar por cima da sua cabeça. Este Deus é conhecido pelos druídas como Hu Gadarn, e aquilo que é mais fantástico a respeito do seu culto é o famoso caldeirão Gundestrup encontrado na Dinamarca.

Cliodhna

Deusa Irlandesa da beleza. Tornou-se mais tarde uma rainha das fadas na área de Carraig Cliodhna em County Cork.

Clota

Deusa celta referente ao Rio Clyde

Cocidius

Uma divindade da caça, na parte norte da Grã-Bretanha, a qual os Romanos ligavam a Silvanus.

Condatis

A personificação da água, e um Deus dos rios na Grã-Bretanha.

Corb

Um Deus irlândes pertencente ao Fomorianos.

Coventina

Deusa britânica da água e das fontes. Localmente, era conhecida na área de Carrawburgh ao longo da Muralha de Adriano. Ela personificava uma fonte sagrada de poderes curativos.

Creiddylad

Uma Deusa galesa, filha de Llyr.

Creidhne

Creidhne era o Deus do trabalho em metal e fazia parte de um trio de Deuses artífices dos Tuatha Dé Danann, juntamente com Goibniu e Luchta.

Curoi mac Daire

Deus solar celta, gigante que trazia a tempestade, armado com um machado.

Cwn Annwn

Também conhecidos por Cwn Mamau, ou Cães das Mães, estes são os Canídeos de Annwn, cães brancos de orelhas vermelhas na forma de espectros que participavam em raptos e raides que os habitantes do submundo fazem por vezes ao plano material (mundo dos vivos) e que era alcunhada de Caça Selvagem ou Wild Hunt. Estão associados no País de Gales aos sons emitidos pelos gansos selvagens ao migrarem e dizem que guiam as almas dos condenados ao inferno. Esta perseguição fantasma é normalmente vista ou ouvida a meio do Inverno e é acompanhada de um vento muito semelhante a um uivar.

Cyhiraeth

A Deusa celta dos riachos. Mais tarde, o folclore ligou-a a um espectro que assombrava os riachos dos bosques, ou seja, uma Banshee. O seu grito antevia a morte.

Dagda

Este é o Deus irlandês da terra e dos tratados, regente da vida e da morte. Dagda é um dos Deuses mais proeminentes e líder dos Tuatha Dé Danann. Mestre da magia, é também um guerreiro temido e um grande artesão. Dagda é filho da Deusa Danu e pai da Deusa Brigid e do Deus Aengus mac Oc e Morrigan é a sua mulher. Dagda possui força e apetite sobrehumano. Os seus artefactos são um caldeirão com um abastecimento infinito de comida, uma harpa mágica que usa para chamar as estações do ano e um bordão enorme, com o qual, de um dos lados, podia matar nove homens, e com o outro, ressuscitá-los. Tinha ainda dois porcos, um sempre a assar e o outro sempre a crescer e ainda árvores sempre a dar frutos. Um dos seus epítetos é Ollathir, e é identifcado com o galês Gwydion e como o gaulês Sucellos.

Damara

Deusa britânica da fertilidade.

Damona

Deusa gaulesa, mulher de Borvo.

Danu

Deusa irlandesa da Terra, matriarca dos Tuatha Dé Danann, ou Povo de Danu. Danu é a mãe de vários Deuses irlandeses, como Dagda, que muitos mencionam como seu pai, Dian Cecht, Ogma, Lir, Lugh, e muitos outros. A equivalente galesa é Don.

Dea Matrona

Deusa que é a fonte do Rio Marne no nordeste francês.

Dea Sequana

Deusa que é a fonte do Rio Seine do norte de França e da Sequanae. O pato é o seu animal sagrado.

Dechtere

Mãe de Cuchulainn. Há muitas variantes de como ele nasceu, e aqui ficam duas: uma, Dechtere engoliu acidentalmente uma efemérida quando bebia um copo de vinho e engravidou; segunda, foi impregnada pelo Deus Lugh com a sua própria alma e vomitou-o literalmente para a vida como Cuchulainn, mantendo-se virgem.

Dewi

Deus galês presente na bandeira do País de Gales, derivado da Grande Serpente Vermelha (dragão…) que o representava.

Dia Griene

A filha do Sol na Escócia.

Dian Cecht

Grande Deus da cura e médico dos Tuatha Dé Danann. Foi ele que criou a mão de prata para o seu irmão Nuada. Dian Cecht abençoou o poço Slane no qual os Tuatha, feridos, se banhavam. As águas curavam as suas feridas, pelo que continuavam a lutar. Ele teve um filho, Miach, que matou por ciúme professional, pois Miach substituiu a mão de Nuada com a de prata com total desrespeito, segundo Dian Cecht. Era também avô de Lugh.

Duberdicus

Deus Lusitano das fontes e da água.

Dwyn

Deus celta do amor.

Dylan

Deus de Arianrhod, nascido de uma situação de virgindade não-quebrada. É uma criatura marítima e volta semper ao seu elemento. Mais tarde regressou a terra e foi morto pelo tio Govannon, que não sabia quem ele era.

Edain

Deusa celta relacionada com andar a cavalo, provavelmente semelhante à Deusa Epona.

Epona

Deusa celta dos cavalos cuja autoridade ia para além da morte, acompanhando a alma na sua viagem final. É adorada em toda a Gália, no Danúbio e em Roma. O seu culto foi adoptado pelo exército romano e onde iam, espalhavam o seu culto. Foi a única Deusa celta honrada pelos romanos com um templo na sua capital. Epona apresenta-se em cima de um cavalo, por vezes deitada em cima dele ou de pé com muitos cavalos ao seu lado. O seu símbolo é a Cornucópia, o que sugere que também é uma Deusa da fertilidade.

Eriu

Uma Deusa irlandesa, que é a personificação do próprio país. Pertence aos Fomorianos e é a mãe de Bres, rei da Irelanda.

Esus

Uma divindada celta da agricultura dos Essuvi na Gália. O seu culto está associado ao touro e ele apresenta-se com um deles. Por vezes, aparece também a cortar ramos com um machado. De acordo com algumas crónicas, era uma divindade sanguinária, enquanto que de acordo com outras, é um Deus do comércio. A sua consorte é Rosmerta.

Etain

Uma Deusa-sol da Irlanda.

Fagus

Um Deus gaulês das beech trees.

Fand

Fand é uma rainha das fadas, em tempos casada com o Deus dos mares Manannan. Depois de ele ter partido, ela foi cobiçada por três guerreiros fomorianos numa batalha pelo controlo do mar da Irlanda. A sua única esperança de ganhar a batalha era mandar o herói Cuchulainn, mas que apenas concordava em ir se ela casasse com ele. Ela aceitou com relutância, embora depois de o conhecer, apaixonou-se perdidamente por ele e ele por ela. Manannan sabia que o relacionamento entre o mundo dos humanos e o mundo das fadas não poderia continuar sem que as fadas fossem destruídas no final. Ele eliminou a memória de todos, colocando o seu manto de magia entre os dois amantes. Fand era ainda uma Deusa do mar com casa tanto no Outro Mundo como nas Ilhas de Man. Com a sua irmã Liban, ela era uma das Deusas gêmeas da saúde dos prazeres terrenos, e era também conhecida como Pérola da Beleza.

Firbolg

Os Firbolg são um povo primordial da Irlanda. Compondo a terceira vaga de invasores, conquistaram a Irlanda e derrotaram os Fomorianos.

Fodla

Fodla é uma das três Deusas que governavam a Irlanda antes de o povo liderado por Amergin ter vindo para a Irlanda.

Fomorianos

Os Fomorianos são uma raça de gigantes demoníacos que em tempos ocuparam a Irlanda. O primeiro povo a invadir a Irlanda foram os Partolonos, mas depois de muitas batalhas os Fomorianos infectaram-nos com uma peste. Depois deles vieram os Nemed, que foram vencidos e escravizados na primeira batalha. Na terceira vaga de invasores, os Firbolg foram mais bem sucedidos, tendo vencido os Fomorianos e conseguido viver pacificamente com eles. Depois de um período de paz, chegaram os Tuatha Dé Danann, os Deuses irlandeses. Conquistaram os Firbolg, mas lidaram de forma mais subtil com os Fomorianos, embora tenham aniquilado de vez a sua hegemonia na Irelanda na segunda batalha de Mag Tuireadh. Os Fomorianos receberam a província de Connacht e puderam casar com alguns dos Tuatha. O rei dos Fomorianos é Balor. Outros membros importantes são Bres, Eriu e Tethra.

Goibniu

Um Deus irlandês dos ferreiros e filho da Deusa Danu. Ele fabrica armas que acertam sempre e possui o hidromel da vida eterna. Ele fabrica as armas dos Tuatha Dé Danann juntamente com Credne e Luchtainel. Mestre da destilação, a sua cerveja dava imortalidade a quem a bebesse. Os Galeses chamavam-lhe Govannon.

Govannon

O Deus Galês dos ferreiros, equivalente a Goibniu. Govannon é filho da Deusa Don e é irmão de Gwydion e Amaethon. Matou Dylan por engano, não sabendo quem ele era.

Grannus

O Deus continental da cura, associado às fontes de água mineral. O centro do seu culto está em Aquae Grannim, actual Achen, na Alemanha. A sua consorte é a Deusa da fertilidade Sirona. Os Romanos identificavam-no com Apolo.

Gwenn Teir Bronn

A Deusa da maternidade.

Gwydion

Um dos sobrinhos de Math ap Mathonwy e irmão Arianrhod..

Gwynn ap Nudd

Deus galês do submundo. Raptou Creiddylad quando ela fugiu para casar com Gwythr ap Greidawl. Há muito tempo que os seguidores de Gwynn e Gwythr lutavam por ela. Esta luta representa a luta sazonal entre o Verão e o Inverno.

Hafgan

A entidade que lutou com Arawn pelo domínio do submundo.

Icaunus

O espírito gaulês do Rio Yonne.

Inghean Bhuidhe

A segunda de três irmãs representando o ciclo das colheitas. Ela representa o Verão e é a Deusa-mãe da maturação das plantações. A sua irmã mais velha é Lasair, e a mais nova, Latiaran.

Lasair

Lasair é a mais velha de três irmãs, uma tríade de Deusas representando o crescimento, maturação e as colheitas. Lasair, Deusa da Primavera no seu esplendor, tem um lindo cabelo preto longo e usa coroa, joias e braceletes de prata. Ela vive num castelo vermelho com um pomar. O Deus Flann levou-lhe a Rosa da Doçura que nunca murchava, o Pente da Magnificiência e o Cinturão da Verdade. As suas irmãs são Inghean Bhuidhe e Latiaran.

Latiaran

A mais nova das três irmãs, Latiaran é a Deusa da colheita. As suas irmãs são Inghean Bhuidhe e Lasair.

Leucetios

Um Deus continental do trovão.

Llew Llaw Gyffes

Llew Llaw Gyffes, o Leão Cintilante da Mão Certa, é o filho da virgem Arianrhod.

Llyr

O Deus dos mares galês, pai de Bran, Branwen, e Manawydan. Equivalente ao Deus irlandês Lir.

Lugh

Lugh é o Deus de todas as capacidades e patrono de Lugodunum, actual Lyon. Ele e a sua consorte Deusa da natureza, Rosmerta, eram adorados durante o festival de 30 dias Lugnasad na Irlanda. Os seus animais eram o corvo e o lince, e era chamado de Lugos na Gália.

Luxovius

Deus gaulês das águas de Luxeuil e consorte de Bricta.

Manannan mac Lir

Deus irlandês dos mares e da fertilidade e que prevê o tempo. Mais antigo que os Tuatha Dé Danann, era mesmo assim considerado um deles. Ele é o filho de Lir e a sua mulher é Fand, e é também o pai doptivo de muitos Deuses incluindo Lugh. Ele é o guardião das Ilhas Abençoadas e governante de Mag Mell. Manannan tem um navio que o segue sem ser necessárias velas; a sua capa torna-o invisível; o seu elmo é feito de chamas e a sua espada não pode sair do seu lado. O seu equivalente galês é Manawydan ap Llyr e chamam-lhe também Barinthus.

Maponos

Deus da juventude

Mars Cariocecus

Deus lusitano da guerra.

Math Mathonwy

Deus galês dos magos, irmão da Deusa Don.

Matres

Deusa-Mãe dos Gauleses e da Gália.

Midir

O Deus governante irlândes de Mag Mor, o submundo, filho de Danu. Quando foi atingido por um ramo de uma aveleira e perdeu um olho, o Deus da cura Dian Cecht curou-o.

Modron

Deusa galesa, filha de Avalloc, derivada da Deusa Matrona.

Mog Ruith

O Deus ciclope irlandês do Sol, que percorre o céu numa quadriga de bronze brilhante ou que voa pelo céu como uma árvore.

Morrigan

Morrigan é a Deusa da batalha, da carnificina e da fertilidade. Ela é denominada de Grande Rainha ou da Rainha Fantasma, e são bastante apropriados. Morrigan apresenta-se tanto como uma Deusa singular ou como um trio. As outras entidades são Badb e ou Macha ou Nemain. Morrigan aparece normalmente disfarçada como um corvo. Ela faz parte dos Tuatha Dé Danann e ajudou a derrotar os Firbolg na primeira batalha de Mag Tuireadh e os Fomorianos na segunda. As origens da Deusa vêm do culto megalítico das Mães. As Mães, Matronas, Idises, Disir, etc, apresentavam-se como Deusas triplas e o seu culto era expresso através do êxtase da batalha e o êxtase regenerativo. Eriu era uma Deusa ligada à terra e podia aparecer como uma bela mulher ou como um corvo, à semelhança de Morrigan, assim como Disir. Além de serem Deusas da guerra, estavam associadas com o destino e com os nascimentos, além de aparecerem antes da morte de alguém para o guiarem ao outro lado.

Murigen

Uma Deusa irlandesa ligada aos lagos

Nabia

Nabia é a Deusa Lusitana dos rios e da água.

Nantosuetta

Uma Deusa gaulesa protectora, relacionada com a água. Entre os Mediomatrici de Alsace ela apresenta-se com o modelo de uma casa, indicando um portfolio doméstico e da fertilidade, formando um par com Sucellos. Nantosuetta era uma Deusa do reino dos mortos e protectora da família.

Nantosvelta

Nantosvelta é uma Deusa da natureza para os Lusitanos, com o nome de Nantosuetta na Gália, podendo ter as mesmas características, protectora do lar e da família, e relacionada com a fertilidade, além de estar ligada ao mundo dos mortos

Nemausus

O Deus gaulês associado com as fontes de Nimes e com a cidade do mesmo nome.

Nemetona

A Deusa dos bosques e templos sagrados

Niamh

Niamh é a filha de Manannan Mac Lir e rainha de Tir na nOg, a Terra da Juventude Eterna. Apaixonou-se pelo grande bardo Oisin e foi buscá-lo à Irlanda no seu cavalo mágico. Encontrou então os Fianna, o grupo de guerreiros ao qual Oisin pertencia. O jovem Oisin apaixonou-se de imediato por ela e subiu para o cavalo. Regressaram juntos a Tir na nOg, onde esteve Oisin três anos, pensava ele, e ficou com saudades da Irlanda e quis regressar. Niamh disse-lhe para quando fosse visitar a Irlanda, não tocasse o solo da mesma. Quando Oisin chegou, descobriu que os três anos tinham sido 300 na Irlanda. Caiu por acidente do cavalo, que desapareceu e ele transformou-se num velho, nunca mais podendo regressar a Tir na nOg. Niamh esperou por ele muito tempo e teve uma filha dele depois de ele desaparecer para Irlanda, uma menina linda chamada Plur na mBan. Niamh ficou muito triste e ansiava por Oisin, por isso, decidiu ir à Irlanda à procura dele, mas foi tarde demais, pois tinha morrido e desaparecido.

Nodens

O Deus do estuário de Severn no sudoeste britânico

Nuada

Também chamado de Nudd ou Ludd, é o Deus irlandês da cura, do Sol, do nascimento, da juventude, da beleza, dos oceanos, dos cães, da poesia, da escrita, da bruxaria e da magia, das armas e das guerras. Nuada tinha uma espada invencível, um dos quatro grandes tesouros dos Tuatha Dé Danann, com a qual cortava os inimigos ao meio.

Ogma

Ogma é o Deus da eloquência e da aprendizagem. Filho da Deusa Danu e de Dagda, é um dos membros mais importantes dos Tuatha Dé Danann. É o grande inventor do alfabeto Ogham usado na escrita irlandesa.

Ogyruan

Deus dos bardos, pai de Gwenhwyar.

Plur na mBan

Filha de Niamh e Oisin, nasceu na Terra da Juventude Eterna. Plur na mBan tornou-se a Deusa-fada de Beltaine.

Robur

Deus gaulês dos carvalhos

Rosmerta

Rosmerta é a Deusa do fogo, do calor e da abundância. Odiava o casamento e é a rainha da morte. Deusa da fertilidade e da riqueza, o seu culto é grande no norte da Gália. Rosmerta é a mulher de Esus e os seus instrumentos são a cornucópia e um bordão com duas serpentes.

Runesocesius

Runesocesius é o Deus lusitano dos dardos.

Sabrina

Deusa do rio Severn na Grã-Bretanha.

Segomo

O Deus gaulês da guerra e da vitória.

Shannon

Deusa irlandesa do rio Shannon.

Sheila-na-gig

Deusa da fertilidade britânica, que mostra de forma proeminente os seus genitais numa tentativa de apaziguar o poder da morte

Sirona

Deusa gaulesa da astronomia e de Mosel Valley.

Smertios

Deus da guerra especialmente venerado pelos Treveri da Gália.

Sucellus

Deus lusitano da agricultura, das florestas e do álcool, consorte de Nantosvelta, também venerado pelos Treveri da Gália. Uma estátua impressionante deste Deus foi encontrada em Kinheim-Kindel, Moselle, e está agora no Rheinisches Landesmuseum Trier.

Sul

Deusa britânica das fontes medicinais térmicas, especialmente em Bath, antiga Aquae Sulis.

Tailtiu

Deusa-terra irlandesa, ama de Lugh. Educou-o até ele ter tido idade para pegar em armas.

Tamesis

Deusa da água doce e fresca que deu o nome ao rio Tamisa.

Taranis

Deus-trovão da Gália e mestre do céu. O seu instrumento é a roda.

Teutates

Teutates é um Deus especialmente venerado na Gália. É o Deus da guerra, da fertilidade e da riqueza e é conhecido também por Albiorix, Rei do Mundo e Caturix, Rei das Batalhas.

Tlachtga

Tlachtga é a filha do Deus cego dos druidas e do Sol, Mog Ruith e de Dron, e patrona dos conhecimentos druídicos, membra dos Firbolg. Aprende toda a sua magia com o seu pai e cria vários objectos mágicos. As crónicas afirmam que foi violada pelos três filhos de Simon Magus e teve trigémeos chamados Doirb, Cumma e Muach. Morreu a dar à luz os mesmos e a colina onde morreu tem o nome de Tlachta Hill. Mais tarde, esta colina era o ponto de reunião de todos os druidas da Irlanda, onde se celebrava o Samhain.

Tongoenabiagus

Tongoenabiagus é o Deus lusitano das fontes onde se fazem promessas.

Trebaruna

Deusa lusitana do lar, das batalhas e da morte.

Tuatha Dé Danann

Os Tuatha Dé Danann são uma raça de Deuses irlandeses que vieram de Danu. Estes Deuses que viviam nas ilhas a ocidente, aperfeiçoaram o seu uso de magia. Viajaram até à Irlanda e estabeleceram-se por lá. Pouco depois de terem chegado, derrotaram os Firbolg na primeira batalha de Mag Tuireadh. Na segunda, lutaram e derrotaram os Fomorianos, uma raça de gigantes que eram os primeiros habitantes da Irlanda. Os Tuatha lidaram de uma forma mais subtil com os Fomorianos do que com os Firbolg e foi-lhes concedida a província de Connacht, para além de haver casamentos entre as duas raças. Os Tuatha foram mais tarde desterrados para o submundo pelos Milesianos. Ainda vivem lá, invisíveis, e são conhecidos por Aes sidhe. Numa batalha justa, lutam ao lado dos mortais, armados de lanças de chamas azuis e escudos brancos. Os membros importantes dos Tuatha são: Dagda, Brigid, Nuada, Lugh, Dian Cecht, Ogma, e Lir.

Turiacus

O Deus mais poderoso dos Grovi, um povo histórico da região norte de Portugal.

Verbeia

A Deusa do rio Wharfe de North Yorkshire, na Inglaterra.

Vosegus

O Deus gaulês da Floresta Vosges na França.